O jogador de vôlei Ricardinho dá adeus às quadras



O medalhista olímpico e bicampeão mundial Ricardinho anunciou nesta quarta-feira (18), em Maringá (PR), que vai deixar as quadras aos 42 anos para se dedicar à família, ao seu projeto social, o Núcleo Vôlei Ricardinho (NVR) e ao Copel Telecom Maringá Vôlei, time que vai disputar a sexta temporada da Superliga Masculina da modalidade.

Ricardinho está na lista dos atletas mais vitoriosos da história da seleção brasileira de vôlei. Ele atuou como levantador até a temporada passada da Superliga pelo Maringá Vôlei, time do qual é presidente. Foram 24 anos como jogador profissional de voleibol. “Saio das quadras, mas continuo brigando pelo voleibol, com o Maringá Vôlei. Deixo espaço para os novos jogadores”, disse.

O atleta afirmou que a decisão de parar de jogar faz parte de um projeto que começou com a criação do Maringá Vôlei e do Núcleo Vôlei Ricardinho, projeto social que hoje atende cerca de 500 crianças e adolescentes de escolas públicas e particulares de Maringá. “Mesmo sendo uma decisão difícil, tudo tem um começo, meio e fim. Cumpri minha missão como jogador. O meu foco é o time e o projeto social, conseguir patrocinadores porque precisamos de apoio para as atividades possam prosseguir”, diz.

Ricardinho jogou na seleção brasileira entre 1997 e 2007 e voltou a vestir a camisa amarelinha em 2012. Teve passagens por dois clubes italianos, o Modena e o Treviso, e times brasileiros. Para ele, um dos momentos mais marcantes da carreira foi a conquista da medalha de ouro na Olimpíada de Atenas em 2004. “Acho que é o grande sonho de um atleta é participar de uma olimpíada. Foi um momento único na carreira”, recorda.


‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››