Pacientes do Hospital Municipal recebem visita pra lá de animada



Um tratamento sem contraindicação. Com a proposta de levar alegria e bem-estar aos pacientes do Hospital Municipal de Maringá (HMM) os integrantes do projeto “Terapia da Alegria” transformaram o tradicional jaleco branco de médicos e enfermeiras em roupas com adereços coloridos, sapatos, nariz de palhaço, chapéu e um violão.

Essa foi a primeira das 30 visitas previstas para a região. “Percorremos os leitos de hospitais e postos de saúde levando alegria para crianças e adultos. Trata-se de uma dose de medicina integrativa que melhora a recuperação dos pacientes e o relacionamento com os colaboradores. Temos relatos de crianças que passaram a comer mais e se relacionar melhor com os pais depois da visita”, revelou o diretor artístico da Associação Terapia da Alegria, Alexandre Penha.

A apresentação em cada unidade dura entre duas e três horas, o suficiente para tirar o sorriso de até 250 pessoas. Em 15 anos de projetos mais de 150 mil pessoas já foram beneficiadas. Um trabalho feito a partir do improviso, da musicalidade, mágica, contação de história e utilização de elementos cênicos. Catorze pessoas integram a associação, porém por questões de espaço e segurança do ambiente hospitalar apenas 2 ou 3 integrantes participam por vez.

Além de Maringá, Sarandi e Marialva também vão recebe etapas da iniciativa, uma das cinco aprovadas pelo edital Viapar Cultural. A associação foi contemplada com R$ 30 mil. Recurso que vai auxiliar nas despesas para 16 apresentações no Hospital Municipal de Maringá, seis no Hospital Psiquiátrico, duas no Asilo Luzamor e o restante em unidades de saúde das cidades vizinhas.

“O projeto Terapia da Alegria atua nos campos da saúde, cultura e assistência social, levando arte como um direito de todos”, finalizou Penha.

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››